24 junho 2007

Que destino Porto?

Após ter vendido Andersson por 31,5 milhões de euros, dos quais 25 milhões foram direitinhos para os seus cofres, o FC Porto ataca forte o mercado de transferências no sentido de colmatar algumas lacunas detectadas ao longo da época pelo treinador Jesualdo Ferreira.
Após uma primeira temporada no Porto em que assumiu os destinos já no inicio do campeonato, e com apenas uma única contratação avalizada por si ( Fucile ), esta época Jesualdo tem a possibilidade de programar a politica de contratações do clube.
No mercado de Inverno chegaram novos jogadores pelas suas mãos: Mareque ( Argentina) e Renteria ( Colombia ) com índices de produção bem abaixo do esperado. O que é comum entre estas 3 contratações? Todos os jogadores são provenientes do futebol sul-americano.
O FC Porto tem neste momento no seu plantel jogadores provenientes das mais variadas nacionalidades:

Portugal ( 14 ): Nuno ( ex Aves) , Paulo Ribeiro e Ventura (ex junior), Ricardo Costa, Pedro Emanuel, Bruno Alves e João Paulo, Quaresma, Bosingwa, Raul Meireles, Vieirinha e Castro ( ex junior), Helder Postiga, Rabiola ( ex Guimarães)

Brasil (12)- Helton, Pepe, Ibson, Paulo Assunção, Alan, Jorginho, Adriano, Bruno Moraes, Lino ( ex Academica) Fernando ( ex Vila Nova ) Edgar ( ex Beira-Mar) Leandro Lima ( Sao Caetano )

Argentina (3)- Lucho, Mareque, Lisandro Lopez

Uruguai (2): Fucile e Luis Aguiar (Liverpool Montevideo)

Colombia(1): Renteria

Eslováquia(1): Marek Cech

Polónia(1): Kazmierczak (ex Boavista)


Com as contratações já anunciadas os jogadores estrangeiros no plantel perfazem a rica soma de 20 contra os 14 nacionais. Se atentarmos a contratações nesta época vê-se que apenas dois são portugueses, contra 5 estrangeiros. O FC Porto está a completar o seu plantel com recurso a jogadores estrangeiros em detrimento dos portugueses que têm imenso valor. A politica de contratações esquece os valores nacionais que despontam, contratam-se jovens brasileiros quando no Porto temos Bruno Gama, Hélder Barbosa, Paulo Machado, Ivanildo, Vieirinha e Nuno Coelho, todo eles deverão ser novamente emprestados a clubes nacionais, até que se afirmem, que sejam vendidos ou terminem contrato. Dentro de pouco tempo não haverá mais jogadores do Porto na selecção e os que tenhamos serão formados em outros clubes, este Porto é ingrato para com as suas escolas de formação. A culpa é sua Sr. Pinto da Costa, e dos seus empresários gananciosos sediosos de fazer deste Porto um clube sem mística e sem jogadores que envergam a camisola por amor ao clube. Jorge Costa partiu, Vitor Baía terminou a carreira e agora quem porta a mística do balneário do Porto???