12 dezembro 2008

O portador da mística do Dragão

A propósito das últimas declarações de Pedro Emanuel a OJogo: "Diziam que nem íamos à UEFA, mas é por isso que o futebol é engraçado. Diziam que seríamos um flop, mas agora têm de nos dar os parabéns. Nos momentos difíceis levantamos a cabeça e trabalhamos mais; nos bons, tentamos melhorar ainda mais para superar objectivos", e já depois de ultrapassada a crise que reinou no Dragão no mês Outubro, creio ser tempo de prestar tributo ao líder que nos últimos anos assumiu com brio e distinção a função de portador da mística, outrora atribuída aos grandes jogadores portistas como Jorge Costa, João Pinto e Vitor Baía.
Quando chegou ao Porto vindo do Boavista campeão, poucos lhe terão reconhecido as capacidades que actualmente fazem dele a voz do balneário do Dragão e um dos líderes mais carismásticos dos últimos anos dos azuis e brancos. Cedo rotulado de defesa "caceteiro", foi conquistando o seu espaço nos plantéis e a exigente plateia pela confiança, tranquilidade e segurança que transmite ao sector mais recuado da equipa. Profissional rigoroso, sério, perseverante na procura da vitória, com a raça que caracteriza os líderes portistas, é frequente vê-lo a corrigir e a dar instruções aos seus colegas em pleno relvado. Foi o braço direito de muitos dos treinadores que passaram pelo Dragão nas sete temporadas que leva de Porto, inclusivamente Mourinho que em várias ocasiões afirmou que o 3 azul e branco era a "extensão das suas palavras dentro do campo, um treinador no relvado". Quando é necessário dar a cara pelo grupo, é Pedro Emanuel o primeiro a interagir com a imprensa, o primeiro a passar a mensagem para os colegas, adeptos e adversários que o Porto vai trabalhar para dar a volta e continuar a ganhar. Actualmente e já sem o fulgor físico de outras épocas tem a confiança do treinador e da administração para cumprir a sua missão de capitão de pleno direito, carrega a bandeira mística dos verdadeiros líderes dentro do balneário recebendo e acarinhando os novos jogadores e continua a ser importante no onze quando a equipa necessita de tranquilidade na linha defensiva, recorde-se que tem suprido as carências na lateral esquerda da defesa com brio e profissionalismo. A Pedro Emanuel vaticina-se uma carreira de sucesso como treinador quando abandonar o futebol e certamente que a administração portista saberá homenagear e dignificar o seu contributo para o clube com a oferta de um cargo na estrutura técnica do clube.
Palmarés:
6 Campeonatos Nacionais: 5 ao serviço do Futebol Clube do Porto e em 01/02 pelo Boavista;
2 Taças de Portugal em 02/03 e 05/06;
1 Taça Uefa em 02/03,
1 Liga dos Campeões em 03/04;
1 Taça Intercontinental em 2004 ( marcou o penálti da vitória ),
3 Supertaças Cândido de Oliveira em 2004/2005/2007.

Sem comentários: