26 dezembro 2008

Época de avaliações...

A época natalícia é proprícia a prendas mas também a avaliações, e o futebol não podia fugir à regra. Quando a grande maioria dos campeonatos europeus ainda nem vai a meio, abre-se uma nova janela de oportunidades para clubes, jogadores e direcções redifinirem as suas metas para o que resta da temporada, depois de um período inicial de avaliação. Este é um período de várias análises: os clubes avaliam a prestação da equipa nas várias frentes em que está envolvida, depois de estabelecidos os objectivos no ínicio do campeonato; os treinadores avaliam o plantel de que dispõem e observam claramente as lacunas que a competição pôs a nu; jogadores menos utilizados procuram a sorte e minutos de competição em outras paragens e jogadores que se evidenciaram vêem neste mercado uma oportunidade de transferência para clubes de maior dimensão. No meio de todos estes pressupostos, circulam os empresários de futebol. São eles que dão corpo aos desejos dos jogadores; quem irrita as administrações com declarações e rumores estampados nas capas dos jornais; são eles que muitas vezes definham por esse mundo fora na procura de novos valores; são eles que estabelecem os timings, para o bem e para o mal, das carreiras dos jogadores que representam; são eles que não raras vezes decidem o sucesso da carreira de um jogador, da equipa e mesmo do orçamento das administrações; são eles quem ainda conseguem vender jogadores por DVD. Não é por isso de estranhar que o Miguel Veloso surja todos os dias associado a rumores de transferências, que o Real Madrid já?!? tenha oferecido 21 milhões de euros pelo Di Maria ou mesmo que o Cissokho e o Miguel Lopes surjam associados ao Porto para suprir as lacunas nas laterais. Até final de Janeiro, muitos cenários serão construídos através das páginas de jornais: muitos jogadores sairão e entrarão nos clubes, pais e empresários irão dar largas à insatisfação dos seus protegidos, jogadores aceitam e rejeitam renovar pelo clube. Nem tudo será verdade assim como nem tudo poderá ser verdadeiramente mentira. É a lei da oferta e da procura, do marketing associado a um produto! E o futebol é uma máquina de marketing com muitos produtos expostos para transaccionar...

Sem comentários: