06 novembro 2007

Tarik e os Dragões no assalto ao primeiro lugar...

Foi uma noite mágica a que se viveu no Dragão na visita do Marselha para a 4ª Jornada da Liga dos Campeões. Depois do empate a uma bola há duas semanas no Velodromé, o Porto necessitava de vencer para se apoderar do primeiro lugar do grupo. Sem Lucho por lesão, Jesualdo Ferreira optou por Marek Cech para formar o trio do meio campo azul e branco, com Bosingwa a voltar ao lado direito da defesa depois de recuperar da lesão sofrida diante do Leixões. No Marselha, a grande surpresa era a ausência do onze titular da estrela da companhia Djibril Cissé.
No estádio 42000 espectadores viram o inicio do jogo começar numa toada ofensiva do Marselha, que retirava espaços ao meio campo do Porto e pressionava imediatamente antes do meio campo azul, anulando facilmente as iniciativas de ataque portista, que sem Lucho mostrava imensas dificuldades para circular a bola. Apesar do domínio a equipa francesa não conseguia criar situações de perigo junto à baliza de Heltón.
Foi nesta toada que aos 27 minutos Tarik faz magia. Talvez insatisfeito com a inércia do ataque portista, o 17 pega na bola na linha do meio campo, dribla 2 adversários, passa em velocidade pelos centrais marselheses, para com enorme calma e discernimento ultrapassar o guarda-redes Mandanda e empurrar para o fundo das redes. Um golo absolutamente fantástico e que certamente irá figurar entre os mais belos desta edição da Liga dos Campeões.
A partir daqui, só deu Porto até final da primeira parte, o golo entusiasmou as hostes azuis e brancas e partiram em busca do golo da tranquilidade que não surgiria.
A segunda parte inicia-se sem alterações nas equipas, mas logo aos 47 minutos após cruzamento da esquerda, tal como em Marselha, Niang aproveita para rematar a contar. Culpas para Stepanov que se deixa antecipar na pequena área e para a defesa portista.
Os jogadores azuis não acusaram o golo e partiram atrás da vitória, realce para a atitude competitiva de Lisandro López, que sempre se mostrou muito inconformado e combativo na procura da bola e do golo que garantisse a vitória. Jesualdo Ferreira mexe na equipa, fazendo entrar Postiga para o lugar de Marek Cech e pouco depois a substituição que decidiria o jogo, Bolatti por Rául Meireles. A partir daqui o jogo do Porto saia mais fluido e Bolatti servia de tampão às investidas francesas. Foi sem surpresa que aos 82 minutos Lisandro materializa a superioridade portista, fazendo um belo golo de cabeça no meio dos centrais franceses, depois de assistência de Quaresma. O jogo arrastou-se até final, com os portugueses a controlar e ainda com a possibilidade de marcar o terceiro golo da tranquilidade. Tal não aconteceu e o Porto está agora no primeiro lugar do grupo com oito pontos, seguido do Marselha com sete, Liverpool com quatro e Besiktas com três pontos no último lugar. De realçar os oito golos sem resposta com que o Liverpool brindou os turcos em Anfield Road, como que a vingar a derrota na Turquia.

Sem comentários: